Menu de navegação de páginas

Sangramento vaginal na menopausa é anormal

útero

Aparelho genital feminino com destaque para o útero.

Os fatores de risco para câncer de endométrio têm partes comuns com o câncer de ovário. Desta forma, a reposição hormonal para pacientes na menopausa é um fator de risco para câncer de endométrio, principalmente se forem utilizados estrógenos sem combinação com progestágenos. A associação destes dois compostos diminui o risco de câncer de endométrio em pacientes com útero. O estrógeno isolado só é receitado pelo médico quando a mulher houver realizado a histerectomia prévia (retirada do útero). É preciso lembrar que se a combinação estrógeno-progestágeno não traz risco para câncer de endométrio, ela aumenta o risco de câncer de mama, doença cardíaca, derrames cerebrais e distúrbios da coagulação (trombose).

O tamoxifeno, um modulador seletivo do receptor de estrogênio nas células, é usado em tratamento e prevenção de câncer de mama em mulheres sob risco. Sua utilização pode aumentar o risco de câncer de endométrio em cerca de duas vezes, principalmente em mulheres na pós-menopausa.

Algumas condições de câncer hereditário são fatores de risco para câncer de endométrio, portanto é muito importante saber a história familiar de câncer. Síndrome de ovários policísticos também aumentam o risco da doença.

adiposidade abdominal

Demonstração de adiposidade (excesso de gordura) abdominal.

A obesidade é um fator de risco para câncer de endométrio. Isto envolve uma série de problemas comportamentais como falta de exercícios físicos, dieta inadequada e rica em gorduras saturadas e gorduras trans. Na obesidade, a situação pode ser agravada devido ao aumento dos níveis de estrógenos (hormônios femininos) causado pelo excesso de massa gorda no corpo, mesmo quando a mulher está na menopausa. Por vezes a obesidade cursa com ovários policísticos, adicionando mais risco para o câncer de endométrio.

Os anticoncepcionais orais combinados (estrógenos e progestágenos) diminuem o risco de câncer de endométrio, mesmo por anos após deixarem de ser usados. Em contrapartida, o uso de contraceptivos aumenta o risco de doenças cardíacas, derrames e trombose, especialmente em fumantes e mulheres acima de 35 anos. A gravidez, amamentação, atividade física, controle de peso e dieta balanceada são as melhores armas para baixar o risco de câncer de endométrio.

Qualquer sangramento vaginal anormal merece investigação médica, principalmente em mulheres na menopausa. Algumas mulheres acreditam que na menopausa a menstruação pode voltar. Isto é um mito. Diante de um sangramento anormal, um médico deve ser consultado e na suspeita de câncer o cirurgião oncológico familiarizado com tratamento de tumores ginecológicos é o especialista mais indicado.

 

 

 

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *